O Python orientado a objetos pode ser a linguagem de programação ideal para tirar do papel o seu projeto digital.

Uma das principais vantagens é a simplicidade na hora de programar, com soluções que permitem evitar retrabalho e, assim, poupar tempo.

Para quem não é especialista na área, entender os pormenores e realizar comparativos entre o Python e as outras opções disponíveis pode até parecer uma missão impossível.

Mas não é, como você confere a partir de agora.

O que é Python orientado a objetos?

O Python orientado a objetos é uma linguagem de programação que foi desenvolvida em 1991 pelo holandês Guido van Rossum.

Ele buscava, justamente, criar códigos de maneira mais fácil e rápida, facilitando a manutenção – resultado atingido com sucesso.

Podemos dizer, em outras palavras, que o seu foco está mais nas funcionalidades do que na implementação, propriamente dita.

Produtividade e legibilidade são outros conceitos essenciais ao pensar em Python.

Para que serve a programação orientada a objetos?

Uma das principais vantagens da programação orientada a objetos é a sua versatilidade.

Ela pode ser usada tanto no desenvolvimento de softwares rápidos e simples quanto em programas de estruturas de dados mais complexas.

E um dos grandes diferenciais da linguagem Python é construir códigos mais limpos e curtos, com poucas linhas de comando.

O modelo pode ser implementado em uma nova solução digital – criação de um novo site, por exemplo – ou na melhoria de uma aplicação já existente.

Além disso, o Python é livre e multiplataforma.

Ou seja, softwares desenvolvidos para uma plataforma podem ser replicados em outra, sem nenhum problema de compatibilidade.

Mesmo programas que não tenham uma versão Python podem ter seu código alterado por desenvolvedores experientes.

Por que usar Python?

Há um ponto central sobre a linguagem Python orientada a objetos que ainda não mencionamos: ela é a que mais se aproxima do funcionamento do mundo real.

Mais precisamente, a semelhança se estabelece na forma como a nossa mente agrupa informações.

Por exemplo, quando usamos o verbo “dormir”, automaticamente pensamos em uma cama, e não em um guarda-roupa.

No Python orientado a objetos, acontece algo semelhante.

Isso porque, assim como no mundo real, na programação, as funções de um objeto são características dele, o que ajuda a criar estruturas muito mais ordenadas e de fácil assimilação.

Parece algo básico, mas isso facilita na hora de organizar um programa.

Outras razões para vocês utilizar o Python são:

  • Dinamismo: é possível desenvolver os componentes do projeto de forma paralela
  • Praticidade: é muito mais fácil manter o software atualizado
  • Confiabilidade: como os componentes podem ser alterados separadamente, as outras partes não são afetadas
  • Reutilização: a mesma classe pode ser utilizada em diferentes sistemas de diversos projetos
  • Extensividade: não é necessário recriar um objeto, basta reaproveitá-lo e aumentar as suas funcionalidades.

Conclusão

Percebeu como a linguagem Python orientada a objetos pode funcionar para otimizar o tempo e a qualidade do projeto que você precisa desenvolver?

Temos certeza que ainda deve ter muitas dúvidas para solucionar. 

Então, fica a nossa dica final: entre em contato com a equipe da Mundo DevOps agora mesmo!

Por aqui, somos especialistas em oferecer soluções completas em mobilidade corporativa e industrial, aplicativos e plataformas digitais que facilitam a vida das pessoas e das empresas. 

Atendimento Mundo DevOps
Enviar via WhatsApp