Como criar um aplicativo e ganhar dinheiro com ele

Como criar um aplicativo

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Para empresas que desejam ter uma presença digital ativa, entender como criar um aplicativo próprio pode fazer toda a diferença.

Afinal, estamos falando em oferecer um atendimento personalizado aos clientes, permitindo um contato mais próximo e facilitado.

Além disso, não dá para ignorar que os aplicativos têm se tornado uma ferramenta de consumo cada vez mais importante.

Segundo o Panorama do Comércio Móvel no Brasil 2020, 85% das pessoas que têm smartphone já fizeram ao menos uma compra online.

Isso acontece porque elas gostam de resolver tudo na palma da mão, do lazer ao trabalho.

Para aproveitar essa tendência e gerar lucro com seu app, confira todas as dicas que preparamos para este guia!

Como criar um aplicativo para seu projeto ou negócio?

Criar um aplicativo para a sua empresa deve ser uma decisão estratégica. 

É necessário fazer um planejamento e, em seguida, um plano de implementação.

Uma série de questões precisam ser definidas antes de iniciar a fase de desenvolvimento, inclusive. 

O primeiro ponto a ser abordado é como essa ferramenta vai ser criada.

Vai ser uma iniciativa própria do setor de TI ou existe a ideia de contratar uma empresa especializada em soluções digitais?

Ao apostar na primeira opção, é preciso levar em conta o tempo e os recursos necessários, além da demanda por conhecimento técnico apurado.

Outra questão pertinente a ser considerada é que tipo de aplicativo vai ser desenvolvido: será nativo, web ou híbrido?

E você já parou para pensar sobre qual será o sistema operacional?

Isso tudo sem esquecer a pergunta mais importante de todas: qual tipo de problema você pretende atender com a criação do app?

Por que criar um aplicativo?

Os números têm mostrado que o consumo digital está mesmo em alta, o que se estende a diferentes setores.

Segundo o Panorama Uso de Apps no Brasil 2020, 51% dos internautas assina pelo menos um serviço de streaming. 

Já 75% afirmaram assistir lives em aplicativos nos seus smartphones.

E isso porque nem estamos falando de jogos mobile, apps de transporte de passageiros e de delivery de comida, por exemplo, que já foram consolidados.

A conclusão é uma só: a maneira de consumir mudou. 

A questão é o quanto o seu negócio está preparado para acompanhar essa transformação, sob o risco perder espaço no mercado.

No Brasil, cada pessoa fica, em média, 9,5 horas por dia conectada à internet – isso significa que, em um ano, passamos 145 dias online.

O levantamento da We Are Social coloca o país como o segundo no mundo nesse quesito. 

E é mais uma amostra do que estamos falando.

Fases de criação de um aplicativo

Para você não ficar de fora dessa tendência, listamos as principais fases de criação de um aplicativo. 

Acompanhe!

1. Definição do objetivo e do público-alvo

Antes de focar nas questões mais operacionais e técnicas, é preciso estabelecer qual é o propósito do seu app e quem ele vai atender.

Ele pode servir para vendas, entretenimento, relacionamento com o cliente ou para oferecer materiais complementares, por exemplo. 

A faixa etária e os hábitos do público-alvo também fazem toda a diferença na definição.

2. Realização da pesquisa de mercado 

Se você fizer uma busca rápida no Google Play ou na App Store (a loja da Apple), vai encontrar milhões de alternativas.

Para o seu aplicativo não ser só mais um em meio a tantas opções, o ideal é que ele tenha um diferencial competitivo – e é aí que entra a pesquisa de mercado.

Esse tipo de análise é útil também para ver quais são as soluções mais utilizadas pela concorrência, seus prós e contras e o que pode ser feito para agregar uma clara vantagem.

3. Montagem do esboço

Depois dessas etapas de planejamento, chegou a hora de começar a desenhar a cara do seu aplicativo.

Na montagem do esboço, é preciso organizar suas ideias e agrupá-las, de modo que façam sentido com o seu propósito.

Também é o momento de definir a forma de monetização. 

Ele vai ser aberto a anúncios? Você vai cobrar para a realização do download? 

Não ignore essas questões.

4. Criação dos wireframes e do storyboard

Com o esboço pronto, já é possível começar a conceber os wireframes, que são as telas do seu aplicativo, e o storyboard, que é a maneira como as páginas interagem entre si.

A dica aqui é pensar como um potencial usuário e tentar, ao máximo, tornar a jornada o mais simples e intuitiva possível.

5. Planejamento do back-end

O seu back-end – parte da programação não visível – é composto, basicamente, pelos wireframes e pelo storyboard.

Com essa parte bem definida, é hora de construir sua base de dados, estabelecer servidores e encontrar soluções de armazenamento.

6. Validação do modelo

É a etapa na qual você busca sugestões de melhoria e críticas que vão fazer o seu protótipo evoluir.

A ideia é que, com outras pessoas avaliando as soluções, possam ser identificadas oportunidades de aprimoramento.

7. Construção efetiva

Pronto, chegou a hora de colocar a mão na massa, de fato. 

Aqui, é o momento de inserir as informações trazidas no back-end no ar e criar uma conta de desenvolvedor da App Store ou do Google Play.

A cara do aplicativo começa a se formar com a criação do User Interface (UI), que, além de atraente, deve ser funcional.

8. Teste beta

Para o seu aplicativo ter mais qualidade, é recomendado fazer um teste beta antes do lançamento oficial. 

Assim, você consegue avaliar o funcionamento do app em um ambiente real, mas controlado.

9. Lançamento 

Se tudo estiver ocorrendo conforme o esperado ou depois das correções necessárias, é hora de lançar o app.

Aqui, toda a estratégia deve estar amparada por ações bem pensadas para que os acessos aconteçam.

Quanto custa criar um aplicativo?

O desenvolvimento de um aplicativo não deve ser visto como um gasto, mas sim como um investimento de médio a longo prazo.

É complicado estimar um custo prévio para a sua criação, pois o valor depende de uma série de fatores.

Complexidade, interatividade, quantidade de recursos e ser multiplataforma ou não são alguns deles.

Ainda assim, é possível afirmar que o preço não costuma ficar abaixo dos R$ 15 mil e, dependendo das funções disponíveis, pode ultrapassar a cifra dos R$ 80 mil.

Conclusão

Como vimos ao longo do texto, desenvolver um app é uma tarefa de alta exigência.

Agora que você já sabe o básico sobre como criar um aplicativo, que tal contar com o suporte de quem domina o assunto?

Entre em contato com a equipe da Mundo DevOps e faça o seu orçamento! 

Teremos o maior prazer em ajudar a sua empresa a encontrar a solução digital ideal.

Assine a nossa newsletter

Receba atualizações e aprenda com os melhores

Veja mais

Você Quer Impulsionar Seu Negócio?

mande-nos uma mensagem e mantenha contato

Atendimento Mundo DevOps
Enviar via WhatsApp